17/06/2014

AGCO investe na formação de jovens judocas em Mogi

Judô Clube de Mogi das Cruzes está entre os projetos que
A AGCO - fabricante e distribuidora mundial de equipamentos agrícolas – detentora das marcas Challenger, Fendt, GSI, Massey Ferguson e Valtra –acredita na força do esporte como agente de inclusão e transformação e, por isso, apoia a formação das futuras gerações de judocas do “Judô Clube de Mogi das Cruzes”, cidade da região do Alto Tietê, na Grande São Paulo.
Criado em 1972, o Judô Clube possui cerca de 500 alunos, entre crianças e jovens. Apoiado na Lei de Incentivo ao Esporte - Lei 11.438, de 2006, a entidade recebeu patrocínio da ordem de R$ 150 mil da AGCO, recurso aplicado no desenvolvimento de atletas de alto rendimento e que será utilizado na compra de agasalhos, Kimonos e camisetas, além de materiais esportivos para uso dos atletas nos treinamentos e competições.
A formação de judocas com potencial para competir na elite do judô, dentro e fora do Brasil, é o grande foco da entidade, que participa com seus alunos dos principais eventos oficiais da Federação Paulista de Judô e Confederação Brasileira de Judô. O quadro é composto por 80 atletas federados e 200 não federados em nossa matriz. “O apoio do Ministério dos Esportes representou um significativosalto na transformação de importantes modalidades esportivas no Brasil”, observa Tárcio Coutinho, dirigente do Judô Club de Mogi das Cruzes.
“Agora, tanto pequenas entidades desportivas quanto os grandes clubes têm a oportunidade de buscar apoio, e igualar a condição de seus atletas para participar das disputas em jogos, lutas ou demais competições. Com a Lei de Incentivo ao Esporte, o apoio tornou-se mais democrático”, finaliza Coutinho.
O judoca Yoshio Kimura – neto do consagrado Sensei Yokichi Kimura, fundador do Judô Clube de Mogi das Cruzes e um dos mestres de maior tradição do judô brasileiro – tem, nas suas origens, mais que o gosto pela prática desta que é considerada uma arte milenar, a experiência de atuar num esporte que só recentemente passou a receber maior atenção do Poder Público e da imprensa.
Kimura conta que seu primeiro contato com os tatames ocorreu aos dois anos, sendo que as competições vieram poucos anos depois aos sete. Aos 16, conquistou a Faixa Preta e, aos 17, iniciou como instrutor na academia do avô, onde atua como coordenador. Yoshio destaca a importância dos recursos advindos do incentivo financeiro para a melhora das condições de infraestrutura e apoio necessários ao bom desenvolvimento dos judocas.
Segundo Arno Duarte, gerente de recursos humanos da AGCO para a América do Sul, o incentivo oferecido aos projetos que visam o desenvolvimento socioeducativo de crianças e jovens é parte da politica de responsabilidade social da AGCO, que apoia outras iniciativas do gênero pelo País. “Queremos estreitar o relacionamento com comunidades próximas das nossas unidades fabris e, como importante caminho, estão as ações de promoção e incentivo às práticas desportivas”, observa.