11/02/2008

AGCO divulga os resultados do quarto trimestre

Crescimento nas vendas de 33% gera um fluxo de caixa robusto e lucros recordes no quarto trimestre de 2007
DULUTH, GA – 7 de fevereiro de 2008 – A AGCO Corporation (NYSE:AG), fabricante e distribuidora mundial de equipamentos agrícolas, divulgou um lucro líquido de $0,82 por ação no quarto trimestre de 2007. O resultado efetivo, que exclui reestruturação e outras rendas não freqüentes, também foi de $0,82 por ação no quatro trimestre de 2007. Esses resultados são comparados a um prejuízo de $1,41 por ação no quarto trimestre de 2006, o que incluiu encargos de amortização do fundo de comércio (goodwill) na ordem de $171,4 milhões. O resultado efetivo, que exclui encargos do fundo de comércio (goodwill) não monetário, foi de $0,41 por ação no quarto trimestre de 2006. A receita líquida de vendas no quarto trimestre de 2007 foi de $2,2 bilhões, um crescimento de aproximadamente 32,9% em relação ao mesmo período de 2006. Excluindo o impacto do câmbio de aproximadamente $192,6, a receita líquida de vendas cresceu aproximadamente 21,1% em comparação ao quarto trimestre de 2006. Para todo o ano de 2007, o lucro líquido foi de $2,55 por ação, em comparação ao lucro líquido por ação de $0,71 no ano de 2006. O resultado efetivo, que exclui reestruturação e outras rendas não freqüentes, foi de $2,52 por ação para todo o ano de 2007, em comparação ao resultado efetivo, que exclui reestruturação e outras despesas não freqüentes e encargos de amortização do fundo de comércio (goodwill) não monetários, de $1,12 por ação para todo o ano de 2006. A receita líquida de vendas para todo o ano de 2007 cresceu aproximadamente 25,6%, para $6,8 bilhões. “O ano de 2007 foi excepcional para a AGCO, impulsionado por um crescimento nas vendas sólido, aumento da rentabilidade e lucros recordes", afirma Martin Richenhagen, presidente e CEO da AGCO. “Estamos muito satisfeitos com a maneira como terminamos o ano. No quarto trimestre tivemos um crescimento no volume orgânico, expansão da margem operacional e dobramos nosso resultado efetivo. Continuamos a nos beneficiar de nossa área de cobertura global e do bom posicionamento de nossas marcas em mercados saudáveis. O comprometimento de nossos funcionários e concessionários nos permitiu alcançar esses resultados financeiros e eu os agradeço por seus esforços”. “Nosso foco na redução de capital de giro ficou bastante evidente no quarto trimestre”, diz Richenhagen. “Apesar do grande crescimento mundial no volume dos nossos negócios, reduzimos nosso investimento de capital de giro em mais de $148 milhões em relação aos níveis de 2006. A maior rentabilidade de nosso negócio e o sucesso de nossos programas de capital de giro nos ajudaram a gerar um fluxo de caixa livre recorde em 2007 de mais de $360 milhões. Tiramos proveito de nosso sucesso financeiro fazendo investimentos estratégicos na forma do desenvolvimento agressivo de novos produtos, aumento da capacidade de produção e expansão da linha de produtos por meio da aquisição da SFIL no Brasil e de nosso investimento na Laverda S.p.A a Itália”. “Todos os principais mercados finais da AGCO continuaram a vivenciar uma demanda sólida no final de 2007”, afirmou Richenhagen. “Estamos presenciando o crescimento populacional, um consumo maior de proteínas na Ásia e uma tendência cada vez maior do uso de energias renováveis. Essas novas fontes de demanda e terra limitada para a produção agrícola estão sustentando os preços das commodities e níveis mais altos de renda para os agricultores. As vendas da indústria de equipamentos agrícolas estão reagindo favoravelmente à economia agrícola cada vez melhor. No Brasil, os preços mais altos das commodities e o aumento da área das propriedades estão sustentando a demanda. A renda maior do agricultores em 2007 gerou uma demanda maior na Europa Na América do Norte, o maior crescimento se deu no segmento agrícola autônomo com aumento nas vendas de tratores de alta potência, colheitadeiras e equipamentos de fenação". Perspectivas Espera-se que as vendas no varejo da indústria mundial de equipamentos agrícolas em 2008 cresçam modestamente em relação aos altos níveis de 2007. Na América do Norte, projeta-se que a renda agrícola para 2008 seja maior, impulsionando uma maior demanda nas vendas de varejo da indústria em relação a 2007. Estima-se que na América do Sul, a forte demanda no Brasil e Argentina gere um aumento nas vendas no varejo. Na Europa, espera-se que na Europa Oriental o mercado continue a se expandir, compensando uma pequena redução nas vendas na Europa Ocidental. A receita líquida de vendas da AGCO para todo o ano de 2008 deve crescer entre 11% e 13%, em relação a 2007. Como foi comunicado no Informativo Analítico de 18 de dezembro de 2007, a empresa espera atingir em 2008 um lucro de $2,75 por ação com a meta de chegar a $3,00. Em 2008, espera-se que a melhora na margem operacional projetada causada pelo aumento no volume de vendas e esforços de redução de custos seja limitada por nossos investimentos estratégicos na forma de gastos maiores no setor de engenharia, uma iniciativa de sistema de informação Europeu e desenvolvimento de mercado e melhorias de distribuição.
* * * * *
Declaração de Isenção de Responsabilidade As declarações que não sejam fatos históricos, incluindo projeções de vendas de varejo, renda agrícola, demanda industrial, expansão de mercado, melhorias de distribuição, receita líquida de vendas, lucro por ação, margens operacionais, investimentos estratégicos, gastos com engenharia, despesas com sistemas de informação Europeus e desenvolvimento de novos mercados, são apenas previsões e estão sujeitas a riscos, que podem fazer com que os resultados reais sejam diferentes daqueles sugeridos pelas declarações. Essas declarações previsionais envolvem um certo número de riscos e incertezas. A seguir temos alguns dos fatores que podem fazer com que os resultados reais sejam diferentes materialmente dos resultados discutidos ou sugeridos pelas declarações. Informações mais detalhadas relacionadas a esses ou outros fatores encontram-se nos arquivos da AGCO com a Comissão de Títulos e Câmbio, incluindo o Formulário 10-K para o exercício de 2006, que terminou no dia 31 de dezembro do mesmo ano. A AGCO se isenta de qualquer obrigação de atualizar qualquer declaração previsional. * Nossos resultados financeiros dependem inteiramente da indústria agrícola e fatores que possam afetar adversamente essa indústria normalmente também nos afetarão adversamente. * Nosso sucesso depende da introdução de novos produtos, o que requer gastos substanciais. * Dependemos de fornecedores para componentes e peças para nossos produtos e qualquer impossibilidade por parte de nossos fornecedores de fornecer os produtos necessários, ou de nossa parte de administrar prontamente qualquer problema com nossos fornecedores, irá afetar adversamente nossa capacidade de fabricar e vender nossos produtos eficientemente e dentro dos prazos estipulados. * A maioria de nossas vendas e fabricação ocorre fora dos Estados Unidos e, conseqüentemente, estamos expostos a riscos relacionados a leis estrangeiras, impostos, condições econômicas, relações trabalhistas, condições políticas e políticas governamentais desses países. Esses riscos podem atrasar ou reduzir a realização de valor a partir de nossas operações internacionais. * Mudanças nas taxas de câmbio e juros podem afetar adversamente a rentabilidade de nossos produtos. * Estamos sujeitos a regulamentos e leis ambientais e nossa capacidade, ou falta de, de obedecer a leis e regulamentos existentes e futuros pode atrasar a produção de nossos produtos ou ainda afetar adversamente nosso negócio. * Nossa força de trabalho é altamente sindicalizada e nossas obrigações contratuais e legais sob contratos e leis trabalhistas nos expõe aos riscos de interrupção de trabalho ou greves, fazendo com que nossos custos aumentem. * Temos obrigações previdenciárias significativas com nossos funcionários. * Estamos sujeitos a flutuações na disponibilidade e preços de matéria-prima, o que pode causar atrasos na produção de nossos produtos ou ainda afetar adversamente nossos custos de fabricação. * A indústria de equipamentos agrícolas é altamente sazonal e flutuações sazonais afetam significativamente nossos resultados operacionais e fluxos de caixa. * Enfrentamos concorrência pesada e, se não formos capazes de competir com êxito contra outros fabricantes de equipamentos agrícolas, podemos perder nossos clientes e nossa rentabilidade e lucratividade pode cair. * Temos uma quantidade substancial de endividamento e, conseqüentemente, estamos sujeitos a certos acordos restritivos e obrigações de pagamento que podem afetar adversamente nossa capacidade de operar e expandir nosso negócio.
* * * * *
Sobre a AGCO Fundada em 1990, a AGCO Corporation (NYSE: AG) (www.agcocorp.com) é uma fabricante mundial de equipamentos agrícolas e peças de reposição relacionadas. A AGCO oferece uma linha completa de produtos, incluindo tratores, colheitadeiras, equipamentos para fenação e forragem, equipamentos de preparo do solo e implementos, que são distribuídos através de mais de 3.200 concessionários e distribuidores independentes em mais de 140 países. Os produtos da AGCO incluem as seguintes marcas conhecidas mundialmente: AGCO®, Challenger®, Fendt®, Gleaner®, Hesston®, Massey Ferguson®, New Idea®, RoGator®, Spra-Coupe®, Sunflower®, Terra-Gator®, Valtra® e White™ Planters. A AGCO oferece financiamento através do AGCO Finance. A Empresa fica sediada em Duluth, Geórgia e em 2007 teve uma receita líquida de vendas de $6,8 bilhões.