22/11/2012

AGCO CONTINUA INVESTINDO FORTEMENTE NO BRASIL

Empresa cresce no segmento de cana-de-açúcar e armazenagem
AGCO, Your Agriculture Company (NYSE: AGCO), fabricante e distribuidora mundial de equipamentos agrícolas, organizou uma coletiva de imprensa hoje no Clube Hípico de Santo Amaro em São Paulo. Este evento anual para a imprensa frisa a importância do Brasil para a estratégia de crescimento global da AGCO. "A AGCO possui um posicionamento de mercado sólido na América do Sul e nossa intenção é manter a liderança em tratores e ganhar mercado com colheitadeiras, pulverizadores e implementos", afirma Martin Richenhagen, Presidente, Presidente do Conselho e CEO da AGCO. “A aquisição da Santal foi um movimento estratégico para ampliar nosso espaço no negócio de cana-de-açúcar – mercado este que deve continuar crescendo nos próximos anos”. Após um início lento devido a seca nos primeiros meses de 2012, condições de colheita melhores, programas de financiamento governamentais atraentes no Brasil e o preço favorável dos grãos estão sustentando a demanda da indústria na América do Sul. “Esperamos que o mercado sul-americano continue saudável, uma vez que os fundamentos agrícolas estão atraentes e a demanda de mercado continua forte”, diz André Carioba, Vice-Presidente Sênior e Gerente Geral da AGCO para a América do Sul. “Continuamos investindo em fábricas, novas tecnologias, agricultura de precisão, qualificação da rede de concessionárias, e ainda planejamos incrementar os negócios da GSI (equipamentos para armazenagem e produção de proteína animal) oferecendo aos produtores uma solução completa desde o plantio até a armazenagem. Abriremos um novo Centro de Distribuição de Peças no próximo ano em Anápolis (estado de Goiás) para aprimorar o atendimento aos nossos clientes nas regiões norte, nordeste e centro-oeste”. A AGCO investe continuamente na modernização e expansão de suas fábricas na América do Sul. Em 2012, o plano é aportar aproximadamente 70 milhões de dólares. Os últimos investimentos incluem as plantas de Ribeirão Preto, Mogi das Cruzes, Canoas e também da Argentina. O maior projeto envolve a planta de Santa Rosa (Centro de Competência para colheitadeiras na América do Sul, América Central e Caribe) para a conclusão da construção da nova área de pintura com nanotecnologia, incluindo a modernização e implantação de equipamentos para automação da soldagem. Em 2012, a AGCO planeja investir aproximadamente 375 milhões de dólares em todo o mundo na pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e soluções agrícolas. A AGCO fabrica equipamentos agrícolas em seis fábricas brasileiras para o mercado sul-americano. As colheitadeiras são produzidas em Santa Rosa (Rio Grande do Sul), os equipamentos para cana-de-açúcar são produzidos em Ribeirão Preto (São Paulo) e os tratores são produzidos nas fábricas de Mogi das Cruzes (São Paulo) e Canoas (Rio Grande do Sul). Os implementos AGCO são fabricados em Ibirubá (Rio Grande do Sul) e os equipamentos de armazenagem e produção de proteínas são produzidos em Marau (Rio Grande do Sul). A AGCO ainda conta com um Centro de Peças localizado em Jundiaí (São Paulo). Os produtos são exportados para outros mercados sul-americanos, mas também para mercados mais distantes como a África. Em 2011, a AGCO gerou aproximadamente 21% de suas vendas na América do Sul e é a líder de mercado no Brasil. Em 2012, e região representou um crescimento de 10% nos primeiros nove meses, e no terceiro trimestre as vendas aumentaram 14% em relação ao mesmo período do ano anterior. Martin Richenhagen conclui: “Nosso panorama de longo prazo continua muito bom – tanto na América do Sul quanto em nível mundial. Mais para frente, esperamos o crescimento do consumo mundial de grãos impulsionado pelo crescimento da população mundial e uma mudança na direção de dietas com mais proteína nos países em desenvolvimento. O aumento no consumo de grãos e níveis de estoque mais baixos devem sustentar os preços das commodities e a renda agrícola acima de níveis históricos, gerando uma demanda saudável em nossa ind&u